Pedro Magalhães

Margens de Erro

Iraque: fim de ciclo

Posted December 12th, 2006 at 4:03 pm4 Comments

Estados Unidos, Rasmussen, N=1000, Dez. 2-3, Telefone

The Iraq Study Group is expected to recommend removing almost all U.S. combat troops from Iraq by early 2008. Do you favour or oppose this proposal?
Favour: 64%
Oppose: 22%
DK/NA:4%

Estados Unidos, Knowledge Networks, N=1326, Nov. 21-29, Internet poll (representativa)

Do you think the U.S. military presence in Iraq is currently:
A stabilizing force: 35%
Provoking more conflict than it is preventing: 60%
No answer: 5%

To try to address the problem of stabilizing Iraq, there is a debate about whether to work with Iraq’s neighboring countries with whom we have other disputes. Do you think it is a good idea or bad idea for the US to have talks with Iran?
Good idea: 75%
Bad idea: 21%
No Answer: 4%

What about having such talks with Syria?
Good idea:75%
Bad idea: 19%
No Answer: 6%

Do you think the US should or should not have permanent military bases in Iraq?
Should:27%
Should not:68%
No Answer: 5%

by Pedro Magalhães

Discurso eleitoral

Posted December 12th, 2006 at 1:32 pm4 Comments

Como é que os políticos fazem discursos na noite eleitoral?

"Tendo em conta a conhecida aversão dos portugueses aos números, assim como a concorrência desleal de blogues que usam despudoradamente a imagem e as mais modernas técnicas de propaganda para influenciar os eleitores, este nosso resultado - um segundo lugar - só pode ser visto como uma inequívoca, retumbante e arrasadora vitória eleitoral. Queria agradecer desde já às nossas bases, que demonstraram enorme dedicação e exemplar sentido cívico em circunstâncias adversas, etc."

Agora a sério: fico muito contente. Obrigado aos organizadores e a quem votou.

by Pedro Magalhães

Hibernação

Posted December 1st, 2006 at 6:27 pm4 Comments

Durante a próxima semana.

by Pedro Magalhães

Votações e enviesamentos cognitivos

Posted November 30th, 2006 at 5:11 pm4 Comments

Desde já se adverte que o facto de, nesta votação, isto aparecer, da última vez que vi, à frente disto na lista dos melhores blogues temáticos, não tem qualquer fundamento racional, e só poderá ser uma consequência dos seguintes enviesamentos cognitivos:

1. Efeito de primazia, causado pela primeira votação ;

2. Efeito bandwagon, suscitado após as consequências do efeito de primazia, reforçando-o.

O conteúdo deste post é, por sua vez, explicado por um terceiro tipo de enviesamento cognitivo.

by Pedro Magalhães

Sondagem referendo aborto

Posted November 30th, 2006 at 11:17 am4 Comments

Mais uma, da Marktest. O texto não esclarece se a pergunta sobre intenção de voto foi apenas colocada àqueles que disseram tencionar votar (73%), mas é provável que assim tenha sido.



Continua a "clivagem" entre os resultados da Católica, da Intercampus e da Marktest, por um lado, e aqueles obtidos pela Aximage e pela Eurosondagem, por outro. Nestas condições, "tendências" é coisa sobre a qual nem vale a pena perder muito tempo, a não ser para dizer o óbvio: diminuição do "Sim" e aumento do "Não" na sondagem Marktest, mas demasiado pequenas para podermos daí inferir a existência de uma mudança real.

by Pedro Magalhães

Mais Turquia

Posted November 29th, 2006 at 11:39 am4 Comments

O Eurobarómetro 64, realizado há um ano, dá uma boa ideia dos sentimentos dos europeus em relação à entrada da Turquia na União Europeia. 55% dos Europeus são contra. A rejeição é mais elevada na Áustria, na Alemanha e em França, para cima de 70%. Isto é especialmente importante porque, como se dizia no Guardian a propósito de um estudo anterior, "France and Austria are due to hold referendums on Turkish membership once the accession talks end in about 10 years, all but guaranteeing that Turkey will be blocked if the current climate prevails."

É também por saberem isso que os turcos estão cada vez mais indispostos "connosco", como se vê neste relatório (.pdf). E como não? Para quê apoiar todas as reformas pedidas pela UE, algumas delas tocando nos receios de perda de identidade nacional e em temas que beliscam o nacionalismo turco, se, no final, os políticos europeus se escudarão por detrás dos referendos para deixar a Turquia de fora? O crescimento do cepticismo é perfeitamente racional.

É por tudo isto que a posição do Papa é tão importante. Afinal, até o Papa pode mudar de ideias...

by Pedro Magalhães

Turquia

Posted November 28th, 2006 at 2:55 pm4 Comments

Quem também parece ter perdido a paciência, neste caso com a União Europeia, são os turcos:

International Strategic Research Organization, N=1100, Nov. 4, 2006
Should Turkey suspend its accession talks with the European Union (EU) in the event of continued pressure from the bloc on opening ports and airports?
Yes: 70%
No: 20%
Not sure: 10%

Do you think Turkey and the EU will reach a compromise on the row over ports and airports?
Yes: 26%
No: 63%
Not sure: 11%

O nacionalismo turco é uma coisa potente. Mas não é fácil persuadir seja quem for da seriedade das intenções europeias - ou da plausibilidade da entrada da Turquia na UE, faça a Turquia o que fizer - quando se vêem coisas como estas:

Alemanha, FG Wahlen / ZDF, N=1303, Nov. 9
Do you support or oppose Turkey’s accession to the European Union (EU)?
Support: 33%
Oppose: 61%
Not sure: 6%

by Pedro Magalhães

Israel

Posted November 28th, 2006 at 2:42 pm4 Comments

Enquanto Olmert procura negociar com a Autoridade Palestiniana, os israelitas parecem ter perdido a paciência com Olmert. Para posição negocial, dificilmente poderia ser pior.

Teleseker / Maariv, N=450, Nov. 9, 2006.
Should prime minister Ehud Olmert resign?
Yes: 51%
No: 42%

Dahaf Institute / Yediot Ahronot, N=4999, Nov. 20, 2006
Who is best to be prime minister?
Benjamin Netanyahu:47%
Ehud Olmert: 22%

Mas as as coisas para a outra parte não estão muito melhor:

Palestinian Center for Public Opinion, 18 Out. 2006, N=1020
How do you evaluate the performance of the Palestinian Prime Minister, Mr. Ismael Haniyyeh at present?
Very good: 18%
Good: 23%
Mediocre: 26%
Bad: 15%
Very bad: 17%
Don't know: 2%

by Pedro Magalhães

Ainda Venezuela (aditado)

Posted November 28th, 2006 at 12:49 am4 Comments

Clima generalizado de suspeita sobre as sondagens. Sobre a Penn, Shoen & Berland, cujas sondagens dão Rosales bem perto de Chávez, algumas notícias - cuja proveniência merece, ela própria, algum cepticismo - relata antigas acções fraudulentas. Realmente, a reputação da PSB é a de associar com excessiva facilidade aos actores políticos locais: veja-se Itália e os trabalhinhos para Berlusconi. E reconheça-se que não é fácil acreditar nestas sondagens quando se lê esta notícia sobre a garantida "vitória por avalanche" de Rosales na ... www.petroleumworld.com...

Mas entretanto, vale a pena ler os resultados desta experiência, onde diferentes inquiridos numa sondagem preencheram o voto com canetas de cores diferentes, de forma a se estimarem os efeitos da percepção de que a sondagem poderia estar associada a diferentes candidaturas. Friederich Welsch é um politólogo com obra publicada. Isto não garante tudo, mas ajuda, e o argumento - a "espiral do medo" - é plausível.

Mas a lição final talvez seja esta: quando não se pode confiar nas eleições, também não se pode confiar nas sondagens.

P.S. - Ilustração do ponto anterior: resultados eleitorais vs. sondagens à boca da urnas na Venezuela.

P.P.S. - E um post, desta vez criticando as sondagens "chavistas".

by Pedro Magalhães

Mais Venezuela

Posted November 27th, 2006 at 6:12 pm4 Comments

Este é mais um exemplo de como o conhecimento do contexto é vital e o meu é, para ser generoso, limitadíssimo (talvez um português que esteja na Venezuela e que leia isto possa ajudar, mas duvido que o Margens de Erro chegue tão longe...)

Eis que logo depois de avisar aqui acerca das sondagens que dão Rosales muito perto de Chávez para as eleições do dia 3 de Dezembro, surge esta (relatório completo, .pdf), da IPSOS, que coloca Chávez com uma vantagem brutal. A IPSOS é uma grande multinacional e não costuma brincar em serviço, mas haveria que saber mais sobre quem está a fazer o trabalho na Venezuela. Pelos vistos, é a IPSOS-Brasil, que esteve ausente de tudo o que foram sondagens para as presidenciais brasileiras publicadas nos media... Mas especulo: olho para a variedade incrível de resultados nas sondagens para as presidenciais na Venezuela e não sei o que pensar. O melhor é continuar a seguir aqui.

by Pedro Magalhães