Pedro Magalhães

Margens de Erro

Uma boa e irrelevante notícia para a Constituição Europeia

Posted June 6th, 2005 at 10:44 am4 Comments

Itália, Ekma Ricerche Srl, 30 de Maio
1000 inquiridos, telefónica, quotas

Domanda : Se ieri si fosse tenuto il referendum per la ratifica della costituzione europea, come avrebbe votato?.
Risposta: Sì 58,5%; No 41,5%

by Pedro Magalhães

Arquivo: Eurosondagem, 31 Maio

Posted June 5th, 2005 at 7:21 pm4 Comments

1020 entrevistas telefónicas, estratificada aleatória.

PS: 40,2%
PSD: 26,4%
CDU: 5,6%
BE: 5,4%
CDS-PP:4,9%

José Sócrates: 55% opiniões positivas
Marques Mendes: 35% opiniões positivas

Opiniões sobre medidas de combate ao défice: ver aqui.

by Pedro Magalhães

Não queremos, mas queremos ser nós a dizer

Posted June 3rd, 2005 at 1:56 pm4 Comments

Reino Unido:

"In the aftermath of the French referendum (...) MORI has found a 34 point lead for the NO camp, Yes 22%, No 56%"

"However, a large majority of people (67% to only 21% against) still want to have a referendum on the EU Constitution regardless of whether or not other countries have already rejected the treaty".

Resumo no Sun, dados do UK Polling Report.

Ou seja: a "morte natural" da CE não é suficiente para os ingleses. Querem matá-la com as próprias mãos. Ou querem também usar o referendo para outras coisas, tais como reafirmar a sua falta de confiança em Tony Blair? Ou, na pátria da soberania parlamentar, gostam genericamente da ideia de referendos mesmo que estes não sirvam para nada? Ou todas estas coisas (e outras) misturadas? O certo é que terá de haver mais qualquer coisa do que uma maioria de eleitores movidos pelo simples objectivo de não haver uma Constituição Europeia.

by Pedro Magalhães

2/3 dos suecos ainda querem votar (e quase metade quer dizer "Não")

Posted June 3rd, 2005 at 11:14 am4 Comments

Sifo, 30-31 Maio

Do you think the European Constitution should be ratified through a referendum, or through a parliamentary vote?
Referendum 65%
Parliamentary vote 27%
Undecided 8%

How would you vote if a referendum on the European Constitution took place now?
Yes 23%
No 41%
Undecided 36%

Mas não se lhes deu a terceira opção (nem referendo nem parlamento)...

by Pedro Magalhães

Concurso de ideias III (actualizado)

Posted June 3rd, 2005 at 10:15 am4 Comments

Há também quem ache que já deverá haver muitos estudos sobre isto. De Leonel Morgado:

Quanto a este concurso de ideias, não haverá já soluções qb.? Pelo menos nos EUA, que eu saiba, é comum haver referendos em simultâneo com outras eleições (sem a escandaleira que há por cá). Certamente que pelo menos aí deverá haver alguém que se tenha dedicado a esta questão da contaminação?

Pois é verdade: é altamente improvável que isto não esteja estudado nos EUA. O problema, claro, é que não há referendos nacionais nos Estados Unidos, o que limita a comparabilidade. Mas vou tentar apurar.

Actualização: ora cá está, 2 artigos em 5 minutos, apesar de não serem respostas ainda à nossa pergunta.

1. Mark A. Smith, The Contingent Effects of Ballot Initiatives and Candidate Races on Turnout. American Journal of Political Science, Vol. 45, No. 3. (Jul., 2001), pp. 700-706. Mas aqui a questão é colocada um pouco ao contrário: em que medida os referendos ajudam a mobilizar eleitores que de outra forma não iriam às urnas. Não se aplica ao nosso caso...

2.Regina P. Branton, Examining Individual-Level Voting Behavior on State Ballot Propositions.
Political Research Quarterly, Vol. 56, No. 3. (Sep., 2003), pp. 367-377. Sugere que o comportamento de voto dos indivíduos nos referendos locais é sistematicamente influenciado pela sua identificação partidária, especialmente em temas "sociais/morais". Mas o tema do referendo europeu não é "social/moral", o nosso referendo é nacional e a nossa questão não é esta: a questão é saber se, ao seguirem as pistas dos partidos, os eleitores deixam que a aprovação pela actuação de um determinado partido a nível local se transforme na adesão às orientações desse partido no que respeita ao referendo.

Mas vou continuar a procurar.

by Pedro Magalhães

Concurso de ideias II

Posted June 3rd, 2005 at 10:05 am4 Comments

Vários responsáveis políticos europeus vão afirmando simultaneamente que haverá e poderá não haver referendo (ver aqui ou aqui), pelo que o exercício de tentar perceber se a realização do referendo em simultâneo com as autárquicas tem efeitos pode, ele próprio, vir a perder interesse. Contudo, há já sugestões sobre como proceder. De J. Afonso Bivar:

Prolongo um pouco o exercício de divisão da amostra cuja ideia já apresentou. Em vez de duas metades, proponho dividir a amostra em três partes. Na primeira, pergunta-se exclusivamente a intenção de voto no referendo; Na segunda, a intenção de voto nas autárquicas; Na terceira, em simultâneo as duas intenções. Nesta terceira parte, para procurar replicar ao máximo as circunstâncias de votação, antes de auscultar os sentidos de voto, introduzir-se-á um pequeno texto informando os inquiridos que lhes vai ser pedido que indiquem como vão votar tanto no referendo como nas autárquicas.

Tenderia ainda a tomar outra precaução suplementar, relativa a esta terceira parte (sobretudo se a aplicação se fizer via telefone). Mesmo com o texto de advertência à cabeça, será aconselhável que a sequência de perguntas (referendo-autárquicas) se invertesse na metade; por outras palavras, a metade deste 1/3 de inquiridos colocar-se-á primeiro a pergunta sobre o referendo; a outra metade, escutará primeiro a questão sobre as autárquicas.

Digo-lhe também que de qualquer forma creio que é ainda muito cedo para fazer quaisquer sondagens, tendo em consideração, além dos meses que nos separam de Outubro, o objectivo de medir/apreciar o "efeito de contaminação partidária" de que fala. Eu esperaria para ver os partidos assumirem e sobretudo publicitarem as respectivas posições no que toca ao referendo. Não há métodos perfeitos. Mas este parece-me aquele que mais fidedignamente responde aos problemas que equaciona. Em relação à sua proposta anterior,tem desde logo a vantagem de permitir aferir variações (acaso as haja e sejam estatisticamente significativas) nas taxas de abstenção e também estimar o impacte sobre estas do que posso chamar de "efeito autárquico" e de"efeito referendo". Só para dar uma ideia da informação relevante que sepode obter: se, na abstenção estimada, o valor referente à "subamostra conjunta" não se "encostar" ao valor relativo à "subamostra autárquica",isso quererá dizer que a votação simultânea funcionará parcialmente comodissuasor da própria ida às urnas. Sei que o efeito colateral desta minha proposta, a ser adoptada claro, será o de fazer crescer a amostra e portanto aumentar os custos. Não creio todavia que o acréscimo seja muito significativo - logo não a invalidará. De qualquer jeito, aqui está em causa apenas o esquema "conceptual" do binómio questionário-amostra.

O design é complexo, mas poderia funcionar. Infelizmente, duvido que venha a haver estudos concebidos especificamente para responder a este tipo de questões. O que se fizer será certamente "atrelado" a coisas que já estão previstas, ou seja, barómetros nacionais ou sondagens autárquicas. Logo, não deverá haver capacidade para criar amostras com a dimensão necessária para que, do confronto de sub-amostras, pudesse resultar algo de estatisticamente significativo.

Quanto ao timing, tenho dúvidas. O potencial problema que se costuma levantar é, para simplificar, que alguém que vote num partido nas autárquicas acabe por, por "arrastamento", votar no referendo "de acordo" com esse partido. Para que isso possa surgir, é verdade que é preciso esperar para que as "pistas" fornecidas pelos partidos possam ser apreendidas pelos eleitores. Contudo, surge um problema: quanto mais tempo passar, mais a condição "quase-experimental" de colocar a pergunta sobre o voto no referendo como se ele não estivesse ligado às autárquicas perde relevância, dado que as pessoas vão, a pouco e pouco, apercebendo-se que, de facto, o referendo irá ter lugar com as autárquicas.

by Pedro Magalhães

Concurso de ideias I

Posted June 2nd, 2005 at 8:55 pm4 Comments

Como saber se faz diferença que o referendo tenha lugar isoladamente ou em conjunto com as autárquicas? Uma ideia para arrancar:

Dividir uma amostra em duas metades, aleatoriamente seleccionadas, e aplicar 2 questionários diferentes. Num, colocar a pergunta sobre intenção de voto no referendo à cabeça. Noutro, colocar a mesma pergunta após uma pergunta anterior sobre intenção de voto nas autárquicas. Os resultados na segunda condição podem depois ser comparados com os resultados da primeira. Se difererentes e essa diferença for estatisticamente significativa, um "efeito de questionário" pode servir como resposta ao problema da "contaminação"

by Pedro Magalhães

Concurso de ideias

Posted June 2nd, 2005 at 6:02 pm4 Comments

Pelos vistos, haverá referendo europeu em Outubro, em simultâneo com as autárquicas. Enfim.

E nos próximos tempos, haverá certamente uma série de sondagens quer sobre eleições autárquicas quer sobre o referendo europeu.

Uma pergunta possível é: como se poderia testar (para confirmar ou infirmar) , usando inquéritos por questionário, a hipótese de que a realização do referendo em simultâneo com as autárquicas afecta o resultado substantivo do referendo, quer do ponto de vista da "contaminação" (um voto num partido nas autárquicas que por extensão de torna num voto "partidarizado" no referendo) quer do ponto de vista da participação (um aumento "artificial" da participação que leva a um resultado substantivo diferente daquele que haveria caso o referendo fosse isolado)?

Vou pensar. Mas se tiverem ideias, mandem-nas para o e-mail do blogue: margensdeerro@yahoo.com. Publico-as aqui, com identificação do proponente (a não ser que se peça anonimato).

E, se exequíveis, executo-as (dando os créditos intelectuais respectivos).

by Pedro Magalhães

Holanda, resultados oficiais

Posted June 1st, 2005 at 10:15 pm4 Comments

Sim: 38.2%
Não: 61.8%

As sondagens - pelo menos as que conheço - pecaram por defeito não estimação do Não. Tendo em conta que essas sondagens foram realizadas antes do Não francês, uma coisa que valia a pena investigar seria em que medida o resultado francês poderá ter influenciado os resultados holandeses, amplificando a força do Não (que já era, diga-se, largamente maioritário).

by Pedro Magalhães

Mais Holanda

Posted June 1st, 2005 at 12:36 pm4 Comments

Maurice de Hond, 28 de Maio (N=2200)

How would you vote in the referendum on the European Constitution?(Decided Voters)
Sim: 41% (-2% em relação a 21 de Maio)
Não: 59% (+ 2% em relação a 21 de Maio)

by Pedro Magalhães