Pedro Magalhães

Margens de Erro

Um comentário

Posted May 20th, 2011 at 3:23 pm4 Comments

"O programa Opinião Pública desta tarde na SIC Notícias, está a perguntar aos tele-espectadores se acreditam na possibilidade de "empate técnico" nas eleições 'tal como apontam as sondagens'."


Acrescento apenas que, apesar deste fascinante tema não receber suficiente atenção no debate público em Portugal, há pelo menos um importante precedente.

by Pedro Magalhães

As "tracking polls"

Posted May 20th, 2011 at 11:37 am4 Comments

Com as sondagens feitas pela Intercampus para a TVI e o Público e com o que está previsto a partir da próxima semana por parte da Eurosondagem para a SIC e o Expresso, a questão do que é uma "tracking poll" volta a levantar-se. Uma boa maneira de começar a perceber bem do que se trata é ler esta nota da CNN sobre o assunto. Mas deixem-me que cite a melhor fonte sobre o tema para este efeito, o muito útil e acessível The Voter's Guide to Election Polls de Michael Traugott e Paul Lavrakas (p. 17, 2ª edição, 2000, tradução minha):

"As tracking polls usam diferentes técnicas metodológicas para produzir estimativas diárias durante as últimas duas a quatro semanas da campanha. Por exemplo, pequenas amostras de inquiridos podem ser contactadas via telefone todos os dias e sujeitos a breves séries de questões. Em si mesmas, estas amostras diárias de 100 a 200 entrevistas são demasiado pequenas para fornecer estimativas precisas do apoio a este ou aquele candidato ou da vantagem de um candidato sobre outro. Logo, as empresas de sondagens facultam médias 'rolantes' de três dias consecutivos de entrevistas para fornecer as estimativas. Assim, entrevistas conduzidas numa 2ª feira em Outubro contribuem para a produção de estimativas de períodos de três dias cobrindo Sábado-Domingo-2ª feira, Domingo-2ª feira- 3ª feira, e 2ª feira-3ªfeira-4ª feira, por exemplo.

Cada uma destas estimativas acaba assim por ser baseada em 500 a 600 entrevistas, agregadas ao longo destes períodos de três dias. Se o candidato A era apoiado por 49% da amostra no Sábado (baseado em 200 entrevistas), 45% da amostra no Domingo (baseado noutras 200 entrevistas) e 47% da amostra na 2ª feira (baseado em 200 entrevistas), o apoio médio para este período, divulgado na 3ª feira, seria 47% (baseado num total de 600 entrevistas)."

Traugott e Lavrakas explicam depois alguns dos problemas que algumas tracking polls podem ter (pp. 17-18):

- como são sondagens feitas numa única noite, podem não empregar os mesmos procedimentos para tentar recontactar os inquiridos quando não foi possível inquiri-los nessa noite;
- algumas empresas, para apressarem o trabalho, não escolhem os inquiridos aleatoriamente;

Eu acrescento:

- estes problemas apontados por Traugott e Lavrakas são problemas potenciais e habituais nos Estados Unidos, não significando isso que sejam problemas intrínsecos às tracking polls;
- o exemplo que dão não reflecte exactamente o que fazem aqui a Intercampus e fará a Eurosondagem, tendo números e períodos temporais diferentes. Mas o princípio é o mesmo;
- as tracking polls devem ser lidas com especial cuidado: se bem que tenham a vantagem de produzir informação diária que pode ser lida como indicando tendências, essas flutuações de dia para dia podem acabar por ser "sobre-interpretadas" como resultantes deste ou daquele facto, quando na realidade podem carecer de qualquer significância estatística.

Em estéreo com o Escrita Política da TSF.

by Pedro Magalhães

630 anos depois…

Posted May 19th, 2011 at 2:34 pm4 Comments

Cortes de Évora, 1481-1482

Capítulo dos desembargadores sobre os fectos que vêem em suas casas et cœtera


Outro se Senhor

by Pedro Magalhães

Shares na twitosfera até às 19h de ontem

Posted May 19th, 2011 at 11:48 am4 Comments

Totais:


Evolução do share de menções:

Evolução do share de menções positivas:


E uma notícia no jornal i sobre o projecto REACTION.

by Pedro Magalhães

Keeping it (more or less) simple

Posted May 18th, 2011 at 12:28 am4 Comments

Média das últimas 5 sondagens conduzidas por empresas diferentes:
PSD: 35,9%
PS: 33,6%
CDS-PP: 11,0%
CDU: 8,1%
BE: 6,2%

Média ponderada (dimensão da amostra) das últimas 5 sondagens conduzidas por empresas diferentes:

PSD: 35,8%
PS: 33,7%
CDS-PP: 10,9%
CDU: 8,0%
BE: 6,1%

PSD: 34,2%
PS: 32,2%
CDS-PP: 11,9%
CDU: 8,4%
BE: 7,2%



by Pedro Magalhães

Amanhã (e prometo que não vos aborreço mais com isto)

Posted May 17th, 2011 at 4:20 pm4 Comments

by Pedro Magalhães

Menções na twitosfera: evolução do share

Posted May 17th, 2011 at 2:44 pm4 Comments






















Poucas observações? Sem dúvida. Amanhã estas linhas podem ficar bastante diferentes. Mera curiosidade? Talvez. É o que é, para já acho que é a única coisa que se pode dizer.

Bem, talvez mais qualquer coisinha. Paula Carvalho e outros colegas envolvidos no REACTION têm um paper onde analisam comentários a 10 notícias online do Público sobre os debates televisivos para as eleições de 2009. São 2.795 comentários, 3.537 frases anotadas, que foram analisadas manualmente (ao contrário do que temos aqui agora). Foram classificadas em termos dos seus alvos (os líderes) e a sua polaridade ( de "muito negativa" a "muito positiva"). O que descobriram? Entre outras coisas:

1. 60% das frases eram comentários negativos.
2. Sócrates era quem tinha mais comentários negativos, mas...
3. Foi o share de comentários positivos, não o total de comentários ou o saldo entre positivos e negativos, que mais se correlacionou com o voto.

Vamos então ver a evolução do share das menções positivas na twitosfera:






















Há uma frase que me irrita brutalmente quando aplicada às sondagens mas que aqui acho que se aplica: isto vale o que vale. Mas com o tempo e a experiência poderemos talvez deixar de a usar e saber melhor o que realmente vale.

by Pedro Magalhães

Intercampus, 11-15 Maio, N=1025, Tel.

Posted May 16th, 2011 at 10:22 pm4 Comments

PSD: 36,1% (-0,1)
PS: 35,4% (+0,3)
CDS-PP: 12,6% (+1,7)
CDU: 7,5% (-0,2)
BE: 6,2% (-0,3)

Por razões já aqui explicadas, a comparação é com a sondagem cujo trabalho de campo terminou a 8 de Maio.

by Pedro Magalhães

Menções na twitosfera (19h de dia 27 de Abril até 19h dia 15 de Maio)

Posted May 16th, 2011 at 3:15 pm4 Comments

by Pedro Magalhães

El apasionante tobogán de las enigmáticas elecciones portuguesas del 5 de junio

Posted May 16th, 2011 at 12:58 pm4 Comments

Muita simpatia, e com um sabor especial para mim por vir de onde vem. Obrigado e cá o espero.

by Pedro Magalhães