Pedro Magalhães

Margens de Erro

Sondagem aos militantes do PSD (actualizado)

Posted March 19th, 2010 at 11:47 am4 Comments

A primeira, divulgada no Sol. 51% para PPC e 31% para Rangel. Não comprei o jornal e não consigo apurar na net quaisquer detalhes metodológicos, a não ser que terá ocorrido entre os dias 10 e 14 de Março.

Actualização:
Pitagórica, N=541, 10-14 Março, Aleatória, Telefónica.

Intenção de voto:
Passos Coelho: 51%
Paulo Rangel: 31%
Aguiar-Branco: 8%
Castanheira Barros: 1%
Indecisos: 3%
Nulos: 6%

Ou não houve militantes inquiridos que tenham declarado não tencionar votar ou a amostra excluiu à partida esses casos. A ficha técnica publicada é omissa sobre esse aspecto. Há também perguntas sobre atributos dos candidatos. Os únicos em que PPC não bate Rangel é "apoio do PR" e "apoio entre os notáveis". "Melhor imagem" e "trazer novos rostos" são os aspectos onde a vantagem de PPC é maior.

No Trocas de Opinião, as últimas transacções deram-se a 39 para PPC e 33 para Rangel. As tendências de longo prazo - a média móvel das últimas 20 transcações, ponderadas pelo número de títulos transaccionados - são claras:

PPC


Rangel

by Pedro Magalhães

"The decision to join the euro area is effectively irreversible"

Posted March 17th, 2010 at 10:51 am4 Comments

No The Portuguese Economy, Álvaro Santos Pereira conclui que "it might not be worth it to dump the single currency". Não sou economista, mas parece-me que "it might not be worth it" é capaz de ser um eufemismo. Barry Eichengreen tem um paper interessante sobre o assunto, mas para quem não tiver paciência para ler tudo, pode ir aqui ou até ouvi-lo aqui.

by Pedro Magalhães

Uma proposta modesta

Posted March 15th, 2010 at 12:04 pm4 Comments

Com algum atraso, encontro um post de João Rodrigues no Arrasão sobre a Pordata. Descrevendo a base como "excelente", o autor assinala criticamente o seguinte facto: "o Estado cria ou ajuda a criar e os 'privados' ficam com os lucros ou, quando não é caso disso, com o que importa: a estima e os louros que o dinheiro consegue comprar em sociedades demasiado desiguais".

Eu estou completamente de acordo, e até vou mais longe. Olhando com a atenção para as fontes de Pordata, constato que a base beneficiou não apenas do trabalho de recolha e organização de dados que António Barreto fez quando estava no Instituto de Ciências Sociais (do Estado) mas também do trabalho de recolha e tratamento de dados feitos por uma multidão de instituições estatais, tais como o Banco de Portugal, o INE, vários ministérios, a Biblioteca Nacional e outras. Um escândalo, na verdade.

Só vejo uma solução: enquanto o Estado não assumir a responsabilidade de produzir uma plataforma que organize toda a esta informação e a torne acessível, os privados não lhe deveriam ter acesso para os fins que entenderem. Que é isto de comprar "estima e louros" com informação gerada com o dinheiro dos contribuintes? E até digo mais: verifico que João Rodrigues tem uma série de publicações, que vão desde a "economia política do futebol" até à análise do "discurso económico". Infelizmente não li, mas estou plenamente confiante que nenhum destes trabalhos usa estatísticas oficiais, e é assim mesmo que deve ser. Que é isso de usar competências académicas adquiridas numa sociedade demasiado desigual e dados produzidos pelo Estado para obter estima e louros na comunidade académica? Em rigor, acho que apenas o Estado deveria ter acesso aos dados que ele próprio cria ou ajuda a criar, para não haver cá badalhoquices.

E se pensarmos bem ainda conseguimos ir mais longe: esta coisa de haver por aí académicos em instituições privadas a produzir conhecimento e a obter estima e louros com dados do Estado tem de ser muito bem revisto. E os estrangeiros? Os países deles que paguem. E por que raio deverão os FMI's e as OCDE's meter o bedelho nos dados do nosso querido Estado? Enfim, isto bem pensado leva-nos longe. Ainda bem que há gente que pensa como eu.

by Pedro Magalhães

Presidenciais

Posted March 14th, 2010 at 8:47 am4 Comments

Mais resultados da sondagem do CESOP, aqui. À pergunta sobre qual dos candidatos conhecidos (mais o actual PR) poderia ser melhor Presidente da República, as respostas:
Cavaco Silva: 57%
Manuel Alegre: 19%
Fernando Nobre: 8%
NS/NR: 16%

Não é uma pergunta sobre intenção de voto, como se pode constatar pelo próprio facto de não perguntar inicialmente aos inquiridos se tencionam ou não votar. Mas dá indicações importantes, que confluem com os resultados recentes da Aximage (menos com os resultados da Eurosondagem, apesar de nesta última se introduzirem cenários mais complicados que podem ter afectado as respostas).

E mais uma vez, o JN estica-se excessivamente na interpretação do resultado da sondagem, transformando aquilo que os outros tratam como "preferência" (bem a RTP e o DN aqui) numa "reeleição praticamente garantida".

Ainda uma pergunta sobre Monarquia vs. República. 72% preferem República.

by Pedro Magalhães

A propósito, espero

Posted March 13th, 2010 at 7:17 pm4 Comments

by Pedro Magalhães

CESOP sobre candidatos PSD

Posted March 13th, 2010 at 1:52 pm4 Comments

Mais resultados de sondagens recentes já abordadas aqui. Neste caso, a do CESOP:

Resultados para a totalidade da amostra e, entre parêntesis, entre os eleitores que afirmam simpatizar com o PSD:

1. Qual seria, na sua opinião, o melhor candidato para a liderança do PSD?
Pedro Passos Coelho: 27% (35%)
Paulo Rangel: 22% (32%)
Aguiar Branco: 7% (8%)
Castanheira Barros:1% (0%)
Outro (espontâneo): 6% (5%)
Não sabe: 36% (19%)
Recusa responder: 2% (1%)

2. Na sua opinião, qual dos quatro candidatos anunciados à liderança do PSD poderá ser melhor primeiro ministro?

Pedro Passos Coelho: 26% (32%)
Paulo Rangel: 19% (30%)
Aguiar Branco: 7% (8%)
Castanheira Barros:1% (0%)
Nenhum deles (espontâneo): 8% (5%)
Não sabe: 38% (23%)
Recusa responder: 2% (1%)

A forma como no JN se interpretam os resultados da sondagem (que tem como universo a generalidade dos eleitores e uma sub-amostra do eleitorado que simpatiza com o PSD e não pede intenções de voto) como indicando possíveis resultados das eleições no PSD (que envolve militantes com capacidade de voto) é obviamente pouco sensata.

by Pedro Magalhães

Dupla personalidade

Posted March 13th, 2010 at 7:53 am4 Comments

Para António Ribeiro Ferreira, as sondagens que dão clara vitória ao PS demonstram que o caso "Face Oculta" não vale nada ao PSD. Este é o mesmo António Ribeiro Ferreira que, há uns meses, escrevia coisas como esta ou esta sobre as sondagens. Há gente com um pensamento tão rápido e fulgurante que uma pessoa

by Pedro Magalhães

Aximage, 5-8 Março, 600, Tel.

Posted March 13th, 2010 at 7:36 am4 Comments

Aqui. Os resultados divulgados dizem respeito a uma pergunta sobre intenção de voto nas presidenciais:

Cavaco Silva: 56%
Manuel Alegre: 21,6%
Fernando Nobre: 13,8%

Comparar com os resultados das Eurosondagem:

Cavaco Silva: 36,9%
Manuel Alegre: 25%
Fernando Nobre: 9,6%
Candidato apoiado pelo PCP: 5,0%
Outro que ainda vai aparecer: 6,9%
Ns/Nr: 16,9%

Um bom exemplo de como, com uma mesma pergunta, as opções de resposta facultadas podem mudar tudo.

by Pedro Magalhães

Eurosondagem, 4-9 Março 2009, N=1025, Tel.

Posted March 12th, 2010 at 10:58 pm4 Comments

Aqui e aqui.

Intenções de voto antes e depois de redistribuição de indecisos:
PS: 29,3% (36,9%)
PSD: 20,8% (26,2%)
CDS-PP: 11,8% (14,8%)
BE: 7,0% (8,8%)
CDU: 6,7% (8,4%)
NS/NR: 20,5%

Há ainda questões ligadas à corrida para a liderança do PSD. 45,2% dos inquiridos dizem que Pedro Passos Coelho "é o melhor dos candidatos à liderança do PSD para ganhar as legislativas a José Sócrates" contra 24,3% que mencionam Paulo Rangel; 47,1% apontam PPC como "quem deve liderar o PSD" (contra 22,1% que apontam PR); 43,4% dizem que é com PPC que "o Governo terá mais facilidade em estabelecer acordos" (contra 20,6% que apontam PR).

E entre os eleitores do PSD? Seria bom saber. Talvez o Expresso apresente esses dados amanhã.

by Pedro Magalhães

Eurosondagem,

Posted March 12th, 2010 at 7:03 am4 Comments


by Pedro Magalhães