Pedro Magalhães

Margens de Erro

Progressão geométrica

Posted May 19th, 2009 at 3:00 pm4 Comments

Há dias, citei uma entrevista de Nuno Melo, do CDS-PP, concedida ao Correio da Manhã, onde falava de "variações de 100, 200 e de mais de 300 por cento" entre sondagens realizadas a um mês ou mais das eleições e os vieram a ser os resultados eleitorais do CDS-PP. Na entrevista de hoje ao Público, Nuno Melo clarifica o que queria dizer com "mais de 300 por cento":

"as diferenças de 800 por cento entre as sondagens e os resultados nas urnas acabaram por criar em mim uma imunidade a sondagens."

by Pedro Magalhães

Europeias. Aximage, 5-7 Maio, N=600, Tel.

Posted May 17th, 2009 at 12:12 pm4 Comments

Antes de redistribuição de indecisos:
PS: 38,5%
PSD: 32,3%
BE: 9,2%
PCP: 8,7%
CDS-PP: 5,6%
OBN: 0,7%
Indecisos: 5,0%

Após redistribuição (proporcional) de indecisos:
PS: 40,5%
PSD: 34,0%
BE: 9,7%
PCP: 9,2%
CDS-PP: 5,9%
OBN: 0,7%

São assim quatro as sondagens divulgadas até ao momento sobre as Europeias:

by Pedro Magalhães

Correcção no método

Posted May 17th, 2009 at 7:56 am4 Comments

Quase duas semanas depois de o CDS-PP ter anunciado, em conferência de imprensa, que iria "apresentar uma queixa junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social sobre a última sondagem da Universidade Católica, considerando que 'ou há erro ou má-fé'", Nuno Melo, cabeça de lista do CDS-PP às Europeias, afirma hoje em entrevista ao Correio da Manhã que "nem quer que lhe passe pela cabeça" que haja "alguma intenção" por detrás dos resultados da sondagem. Não acredita "que haja reserva mental vindo de onde vem". O que verifica é que a Católica "nunca acerta"e que há "variações de 100, 200 e de mais de 300 por cento" (sic). "Exigia-se correcção no método.", afirma. "As previsões [sic] completamente irrealistas em relação ao CDS mantém-se numa lógica perversa num Estado de direito e numa democracia porque não andamos a brincar às sondagens e isto pode ter um efeito desmobilizador. E ataca um partido que é fundador da democracia portuguesa."

E a queixa na ERC: já terá dado entrada?

by Pedro Magalhães

Brinquedo novo para os próximos meses

Posted May 16th, 2009 at 10:59 am4 Comments

Isto é simplesmente fantástico.

by Pedro Magalhães

"Portugal: uma democracia em construção"

Posted May 15th, 2009 at 3:34 pm4 Comments

A Imprensa de Ciências Sociais acaba de editar um livro de homenagem a David Goldey, com o mesmo título deste post. Um dos capítulos é particularmente tentador, e por isso é o único que li até ao momento (para além daquele de que sou co-autor, naturalmente): "To boldly go where no man has ever gone before. As decisões do Presidente Sampaio de Julho e Dezembro de 2004", por Fernando Marques da Costa, antigo assessor do Presidente da República. Vale mesmo a pena, independentemente do que ficarmos a achar no final da leitura.

by Pedro Magalhães

Legislativas. Aximage, 5-7 Maio, N=600, Tel.

Posted May 15th, 2009 at 12:54 pm4 Comments

Resultados brutos:

PS:37,3% (38,1%)
PSD:26,7% (25,1%)
BE:12,6% (12,6%)
CDU:8,5% (10,3%)
CDS:5,2% (5,7%)
OBN+Indecisos: 9,7% (8,1%)

Na base desta notícia, não é possível apresentar os resultados como se fossem resultados eleitorais, dado que os valores para "indecisos" e "outros, brancos e nulos" não são apresentados. Mas talvez a edição em papel amanhã tenha esta informação.

Ignorando essa questão, e se nos concentramos apenas nas tendências, temos que, nas últimas quatro sondagens divulgadas sobre legislativas:

- PS desce em 3, mantém numa.
- PSD sobe em 3, desce numa.
- BE sobe em 3, mantém numa.
- CDU desce em 3, sobe numa.
- CDS-PP desce nas quatro.

Atenção, contudo, que os pontos de comparação temporais não são sempre os mesmos: mensal para Marktest, Aximage e Eurosondagem, trimestral para CESOP/UCP.

by Pedro Magalhães

Sorte de varas

Posted May 14th, 2009 at 7:35 pm4 Comments

Assim é que está bem

Posted May 14th, 2009 at 7:16 am4 Comments

Sondagem encomendada pelo CDS-PP dá empate técnico entre PS e PSD em Faro, comprovando a necessidade de uma coligação PSD/CDS-PP.

by Pedro Magalhães

Sondagens

Posted May 14th, 2009 at 5:56 am4 Comments

Na TVI 24, Morais Sarmento acusa uma empresa de sondagens de "alterar a realidade com sondagens que não são verdadeiras". No Avante, declara-se a "falência absoluta" das sondagens. Vai ser um ano longo, este.

by Pedro Magalhães

Broken Windows

Posted May 11th, 2009 at 2:37 pm4 Comments

A propósito do editorial do director do "i" e desta resposta de João Gonçalves, impora notar que, como em tudo o que sucede nos Estados Unidos, há quilómetros de estantes sobre o assunto. Alguns dos trabalhos em revistas peer-reviewed mais recentes e/ou mais citados:

Broken windows: New evidence from New York City and a five-city social experiment- "evidence (..) provides no support for a simple first-order disorder-crime relationship as hypothesized by Wilson and Keller."

Carrots, Sticks, and Broken Windows - "it is important to emphasize that arrests for felonies have the largest effect on felony crimes and that the effects of broken-windows policing, although significant for some crimes, are not universally significant, nor are they of great magnitude."

The irony of broken windows policing: A micro-place study of the relationship between disorder, focused police crackdowns and fear of crime: "This study provided evidence for the broken windows policing hypothesis that disorder leads to fear of crime. Examining fear of crime among citizens at a micro-place unit of analysis revealed that higher levels of both perceived social disorder and observed physical disorder led to significantly higher levels of fear of crime. For those advocating broken windows policing approaches, however, the data also suggest reason for caution. Those living in an area that received the extra police presence (controlling for other factors in the model) also reported higher levels of fear."

E dois estudos que interpretam os mesmos dados chegando a conclusões diferentes. O primeiro é o mais citado de sempre sobre o tema:

Systematic social observation of public spaces: A new look at disorder in urban neighborhoods:
"observed disorder did not match the theoretical expectations set up by the main thesis of “broken windows” (Wilson and Kelling 1982; Kelling and Coles 1996). Disorder is a moderate correlate of predatory crime, and it varies consistently with antecedent neighborhood characteristics. Once these characteristics were taken into account, however, the connection between disorder and crime vanished in 4 out of 5 tests—including homicide, arguably our best measure of violence."


Spuriousness or mediation? Broken windows according to Sampson and Raudenbush (1999): "In sum, Wilson and Kelling's broken windows theory argues that disorder causes social withdrawal and low informal social control, which in turn causes crime. Sampson and Raudenbush, 1999 interpreted their own results as not supporting the broken windows theory because disorder did not have a direct effect on crime after controlling for collective efficacy. The problem with this interpretation is that the broken windows theory never argued that disorder had a direct unmediated effect on crime. According to the broken windows theory, disorder undermines informal social control, which in turn leads to an increase in crime. This is the core premise of the broken windows theory, a premise that Sampson and Raudenbush's results did not contradict."

E uma última frase neste último artigo que diz tudo:

"While debate in the popular press continues, academics are pushing forward in their attempts to understand the link between disorder and crime. Several articles have been published in recent years showing empirical evidence both in support of and against the broken windows theory (...) Thus far, no final consensus has been reached."

Era fácil se fosse só as broken windows, não era?

P.S. - Só para dizer que, não sendo especialista do assunto, até simpatizo com a tese. Mas os resultados das experiências dos psicólogos sociais, como acontece tantas vezes, não são fáceis de replicar e comprovar quando se sai de ambientes mais artificiais e se tenta generalizar...

P.P.S - Enviada por um leitor, uma referência adicional de Steven Levitt, tornada famosa devido ao argumento sobre os efeitos de Roe vs. Wade na criminalidade: Understanding Why Crime Fell in the 1990s.

by Pedro Magalhães