Pedro Magalhães

Margens de Erro

Pensionistas

Posted March 11th, 2009 at 3:15 pm4 Comments

Há dias, no lançamento de um livro, Pacheco Pereira terá afirmado que o PCP é um partido "alimentado por pensionistas". Li isto no Mirante, não consigo encontrar a notícia online e não sei bem em que contexto a afirmação foi feita. Mas certamente que não se refere a uma característica distintiva do PCP no âmbito do comportamento eleitoral em Portugal. Este e este quadros já chegariam, mas podemos ir mais longe:


Se há partidos onde os pensionistas tenham maior propensão para votar, é no PS e no partido de Pacheco Pereira.

by Pedro Magalhães

The pulse of what people are thinking

Posted March 11th, 2009 at 1:35 am4 Comments

No Pollster, Mark Blumenthal cita um recente perfil de David Axelrod, assessor principal de Obama, publicado no NYT. O artigo fala das "reuniões de 4ª feira à noite":


"Jon Favreau, the president’s chief speechwriter, said there was a familiar refrain during these meetings, with Mr. Axelrod urging the team not to become consumed by the insularity of Washington. 'Can I speak on behalf of the American people here?' he said Mr. Axelrod often asks aloud. That is precisely why, Mr. Axelrod said, he convened the Wednesday Night Meetings: to keep the pulse of what people were thinking. Locked in the White House all day, he added, he can no longer hear those voices on his own.

[T]he Wednesday night meetings suggest that
the strong belief in polling and focus groups from the campaign are alive in the White House. Joel Benenson, a pollster for Mr. Obama, is among the participants in the sessions. He said that Mr. Axelrod often asked one question above all: 'How do we make sure that the arguments from the president’s agenda are made in the most persuasive way?'

Foi (também) sobre isto que eu tentei escrever aqui.

by Pedro Magalhães

Bases de dados

Posted March 9th, 2009 at 4:02 pm4 Comments

No lado direito, passam a estar disponíveis duas folhas de Excel com os dados sobre as estimativas de intenção de voto e avaliações do Presidente, do Primeiro Ministro e do líder do PSD desde 2005. No que respeita às intenções de voto, procurei incluir todas as sondagens de que tive conhecimento, com os procedimentos, cautelas e omissões descritos aqui e aqui. No que respeita à popularidade, incluo apenas a Eurosondagem e a Marktest, por serem as séries mais longas.

Se detectarem erros, ficarei imensamente grato que mos apontem, para poder corrigir. Não garanto actualização tão regular para as bases como para os gráficos que vou apresentando, mas a verdade é que qualquer um de vós poderá, a partir de agora, usar estas bases para as actualizar. Se usarem estes dados para algum fim público, só peço que mencionem onde os encontraram.

by Pedro Magalhães

Aximage, 2-5 Mar, N=600, Tel.

Posted March 7th, 2009 at 2:54 pm4 Comments

Resultados com redistribuição proporcional de indecisos:
PS:40,2% (40,0%)
PSD:25,2% (24,9%)
BE:13,2% (12,6%)
CDU:9,5% (9,6%)
CDS:7,1% (8,1%)
OBN:4,7% (4,9%)

Resultados brutos:
PS:38,3% (38,2%)
PSD:24,0% (23,8%)
BE:12,6% (12,0%)
CDU:9,0% (9,2%)
CDS:6,8% (7,7%)
OBN:4,5% (4,7%)
Indecisos:4,8% (4,5%)

Este é o tipo de resultados que, suspeito, os jornalistas detestam: nada para dizer a não ser falar de "subida de 0,1 pontos percentuais". A notícia está aqui. Obrigado aos leitores que foram, entretanto, deixando estes resultados nos comentários.

by Pedro Magalhães

Outlier: Out, liar.

Posted March 6th, 2009 at 5:13 pm4 Comments


by Pedro Magalhães

Maybe not.

Posted March 6th, 2009 at 5:08 pm4 Comments


by Pedro Magalhães

O marketing político não devia ser visto como uma disciplina completamente inútil

Posted March 6th, 2009 at 2:04 pm4 Comments

by Pedro Magalhães

O Bloco Central

Posted March 6th, 2009 at 12:18 pm4 Comments


by Pedro Magalhães

Actualização: estimativas mensais, controlados "house effects"

Posted March 6th, 2009 at 11:59 am4 Comments


Notem a diferença em relação ao gráfico abaixo. Nesse, o smoother que capta a tendência é afectado pela contribuição diferente que diferentes institutos são para a mancha de pontos. Mas quando estimamos um resultado mensal onde se assumem efeitos fixos dos institutos de sondagem, o retrato é um pouco diferente: há um boost para o PS em Outubro (crise), mas lento declínio desde aí. PSD estabiliza após queda de Outubro. Ou se quiserem ver a coisa doutra forma, PSD não recupera do embate da segunda metade de 2008 ao passo que PS, após boost de curto-prazo trazido pela crise, retoma tendência anterior.

by Pedro Magalhães

Actualização: estimativas de resultados eleitorais

Posted March 6th, 2009 at 11:37 am4 Comments


by Pedro Magalhães