offer swiss eta movement rolex replica.

the unique contribution well worth grow to be the conveniences cheap replica uhren.

how many sex doll are many annually?

Pedro Magalhães

Mais exercícios

Imaginem que têm à vossa frente, numa folha de Excel, os resultados das eleições de 2009, por distrito, assim como os resultados nacionais. Um exercício muito simples que se pode fazer na base disto é supor que uma mudança dos resultados a nível nacional se repercute de forma homogénea por todos os distritos. Há países onde o sistema de partidos de encontra muito “nacionalizado” deste ponto de vista, e outros em que isso não é verdade. Portugal parece, contudo, ter um nível de “nacionalização dinâmica” comparativamente elevado. O que nos deixa um pouco menos inquietos em relação à pressuposição inicial.

O que quer dizer “repercutir de forma homogénea”? No Reino Unido usou-se muito a ideia do uniform swing: se os Trabalhistas descerem 10 pontos a nível nacional, isso significa que desceram 10 pontos em cada distrito. O problema é se há distritos em que os Trabalhistas têm menos de 10% dos votos: ficam com votação negativa? A alternativa mais comum é o proportional swing: se os Trabalhistas têm 10% num determinado círculo e descem de 50% para 40% a nível nacional, não descem 10 pontos no círculo (ficando com 0% dos votos). Descem 20% (não 20 pontos). Por outras palavras, ficam com 8% dos votos nesse círculo onde antes tinham 10%.

Imaginem que pegamos nos resultados nacionais de 2009, nos resultados por distrito de 2009 e na última sondagem da Aximage e presumimos que há um swing nos distritos para todos os partidos proporcional ao swing nacional. Como ficaria o parlamento? Assim:

PSD: 36,8% (102 deputados)
PS: 30,1% (77 deputados)
CDS-PP: 11,4% (22 deputados)
CDU: 9,0% (17 deputados)
BE: 6,9% (12 deputados)

17 Comments

  1. Seria interessante ver o mesmo exercício feito para outras sondagens, ou então (espírito de síntese) para os últimos valores médios das sondagens nos gráficos que disponibilizaste. Se houver tempo, claro…

  2. Zèd says:

    E podemos complicar ainda mais a coisa (o que provavelmente começa ser demasiado afastado da realidade) e combinar com o cenário do post anterior – coligação PCP/BE/PEV. Ainda assim sairia uma maioria PSD/CDS-PP não?

  3. Sim, sim: 99+22. Coligação pré-eleitoralCDU/BE, somando actuais % nas sondagens, 32.

  4. Média últimas 3:
    PSD:103
    PS: 79
    CDS: 19
    CDU: 15
    BE: 14

  5. Só para ter a certeza: essa média das últimas 3 são as últimas 3 sondagens da Aximage?

  6. Não: Intercampus, Aximage e Eurosondagem.

  7. OK. Podias ter acrescentado e Marktest e CESOP para termos toda a palette de house effects 🙂

  8. Infelizmente a situação está-se agravando dia a dia a situação era má e acelerou-se significativamente a situação, a situação, o medo, a incerteza estão roubando votos ao PS todos os dias e acrescentando-os a outros sectores

    a situação (outra vez que isto da situação está na moda (moda essa-sem significado estatístico) parece cada vez mais com o advento
    do PRD
    só que desta vez o PRD será o CDS…

    não que interesse muito
    mas acho que o deputado do CDS no distrito vermelho vai voltar

    ou seja o swing e o foxtrot nos distritos vai ser muito confuso

    deputados do queijo limiano vão florescer no norte

    voto de protesto PS e PSD está sendo sub-valorizado

    e não vai para o bloco ou PCP ou PPM

  9. Libertas says:

    1. o CDS com 11,4 elegerá sempre + um deputado por Lisboa e outro por Setúbal, passando a 23.

    2. O BE com 6,9 perderá: Porto, Lisboa, Leiria; ficando com 13.

    Pedro, onde é que discordamos?

  10. Com proportional swing, os meus resultados para Lisboa:

    PSD: 36,67% (16)
    PS:32,32% (15)
    CDS: 12,96% (6)
    CDU: 12,23% (6)
    BE: 8,22% (4)

    E os seus?

  11. Libertas says:

    Pedro,
    a soma dos resultados dos 5 partidos que apresenta para Lisboa ultrapassa os 100%.

    Os resultados para Lisboa serão aproximadamente:
    PSD: 32,8% (17)
    PS:30% (15)
    CDS: 11,8% (6)
    CDU: 10,9% (5)
    BE: 8,9% (4)

    *************

    Sempre com base na sondagem, o Pedro estima que o CDS terá 22 deputados. Algo estará mal em Setúbal. Minha estimativa:
    PSD 4
    PS 5
    CDS 2
    CDU 4
    BE 2
    Confirma?
    Luís Casalta

  12. Bem, que grande confusão. Recapitulemos. Tenho em Lisboa, redistribuido para 100% (porque não estou a considerar os outros partidos, mas isto não faz diferença):

    PSD 34,27% (16)
    PS:32,32% (15)
    CDS: 12,96% (6)
    CDU: 12,23% (6)
    BE: 8,22% (4)

    O que se passou acima foi que copiei sem querer para o PSD o resultado de Santarém. Os seus resultados são diferentes dos meus, mesmo antes de redistribuir antes de redistribuir. Eis os meus:

    PSD 31,73% (16)
    PS:29,93% (15)
    CDS: 12,00% (6)
    CDU: 11,32% (6)
    BE: 7,61% (4)

    Em Setúbal:

    PS: 30,59% (5)
    CDU: 25,10% (4)
    PSD: 22,62% (4)
    CDS: 10,91% (2)
    BE: 10,77% (2)

    Estamos iguais aqui.

  13. Libertas says:

    Presentemente, o CDS tem 21 mandatos. Se ganha 1 em Lx e outro em Setúbal, onde é que perde um mandato?

  14. Libertas: não tenho os dados comigo. 2ª feira respondo.

  15. Olá novamente. Tendo sempre esta sondagem da Aximage por referência, tenho o CDS a ganhar um deputado em Lisboa e em Setúbal mas a perder 1 na Madeira para o PSD.

  16. G says:

    Fiz o exercício proposto, mas utilizei os resultados eleitorais desde 1991, ou seja seis eleições legislativas e fiz as médias dos desvios entre o resultado nacional e o resultado em cada distrito.

    Um exemplo: o PS tem na sondagem 33,1%. Pelas minhas contas, no Distrito de Leiria deverá ter uns 25,6% (ou seja em média em Leiria tem menos 7/8 pontos do que a nível nacional).

    Com esta sondagem da Intercampus, tenho a seguinte composição no Parlamento:
    PSD – 104; PS – 84; PP – 18; CDU – 14; BE – 10

    Tenho feito estas contas ultimamente e se utilizar só as sondagens de Março/Abril chego a uma conclusão de alguns distritos estão praticamente fechados e nunca têm variação (com base nas sondagens):

    Beja – PSD(1), PS(1) e CDU(1)
    Bragança – PSD (2) e PS(1)
    C.Branco – PSD (2) e PS (2)
    Évora – PSD(1), PS(1) e CDU(1)
    Leiria – PSD (6), PS(3) e PP(1)
    Portalegre – PSD(1) e PS(1)
    V.Real – PSD (3) e PS (2)
    Viseu – PSD (5), PS(3) e PP(1)
    Açores – PSD(3) e PS(2)

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.