Pedro Magalhães

Margens de Erro

"Conseguir o Impossível"

Posted May 30th, 2007 at 3:59 pm4 Comments

Vale a pena ler o livro sobre a campanha de Manuel Alegre às presidenciais, tal como também valia a pena ler o livro de Filipe Santos Costa sobre a campanha de Soares (e não é por este blogue ser mencionado em ambos).

São dois produtos muito diferentes. O livro sobre Soares é uma reportagem jornalística, o livro sobre Alegre é uma obra colectiva, escrita por pessoas ligadas à campanha. Mas o capítulo de Helena Roseta ("Uma candidatura pioneira"), apesar dos enviesamentos compreensíveis, serve como reportagem da pré-campanha e campanha tal como vista pelo lado da candidatura de Alegre, tem muita informação factual e está uma coisa que me parece realmente bem feita. Os capítulos de António Pina Ferreira - sobre o financiamento - e de Nuno David - sobre a campanha na Net - são também muito informativos. E há o capítulo de Luis Moita sobre "A estratégia de campanha eleitoral de Manuel Alegre", que é de especial interesse para apreciar semelhanças e diferenças com que se vai passar por aqui. O resto do livro é mais soft e interessa mais aos fiéis da crença.

Temas "quentes" não há muitos, a não ser alguns elementos adicionais da intriga em torno da escolha de candidato por parte do PS, acusações bastante explícitas de manipulação dos resultados de sondagens feitas à Eurosondagem e um alegado acordo "implícito" entre Soares e o PCP e o BE. Mas há também uma janela, nos vários textos, para a mundividência e para o tipo de discurso político que está por detrás deste tema do "poder dos cidadãos", de que havemos ouvir falar mais vezes . E há outra coisa que me interessa pessoalmente: a enorme importância que as sondagens divulgadas publicamente parecem ter, não tanto (directamente) para o comportamento do eleitorado, mas sim para o interior das próprias campanhas, aumentando o ânimo ou o desânimo, dando a percepção de objectivos atingidos ou por atingir, afectando estratégias e, logo, afectando a capacidade de mobilização dessas campanhas e a sua eficácia. Uma sondagem em particular, feita pela Católica e divulgada no dia 7 de Janeiro, parece ter sido um momento charneira nas candidaturas Soares e Alegre, para além, claro, do impacto da "tracking poll" da Marktest. Feita a constatação, não sei bem o que deva ficar a pensar sobre o assunto.

Em resumo, independentemente do que achemos disto tudo, publicar livros destes após eleições é um bom hábito, que seria bom que não se perdesse.

by Pedro Magalhães

Outlier: Resistance is Futile

Posted May 30th, 2007 at 2:34 pm4 Comments

Paul Wolfowitz demitiu-se da presidência do Banco Mundial. George W. Bush nomeou Robert Zoellick. O Público faz uma breve resenha biográfica. Mas esqueceu-se do fundamental: a participação de Zoellick num grupo auto-designado "Os Vulcanos", que desenhou a política externa de Bush enquanto candidato nas eleições de 2000 e preservou a sua influência nos anos que se seguiram.

Composição dos Vulcanos: Condoleezza Rice, Richard Armitage, Robert Blackwill, Stephen Hadley, Richard Perle, Dov Zakheim e Paul Wolfowitz, para além do próprio Zoellick. Há um livro sobre eles, e um artigo recente do Chicago Tribune.

by Pedro Magalhães

Legislativas, França, 28 Maio

Posted May 28th, 2007 at 4:52 pm4 Comments


by Pedro Magalhães

Popularidade líderes políticos, Maio

Posted May 28th, 2007 at 10:20 am4 Comments

Com o último Barómetro Marktest, ficamos assim. No caso de Sócrates, o que está à direita da linha de referência vertical são os barómetros "pós-Independente".



As coisas não estão brilhantes para o PM, mas estão ainda piores para o líder do maior partido da oposição. O Presidente plana por cima disto tudo.

by Pedro Magalhães

Lisboa

Posted May 26th, 2007 at 2:36 pm4 Comments

Três sondagens divulgadas publicamente - Marktest, Eurosondagem e Católica - as três presumindo cenário com candidatura de Carmona. Os resultados são estes:



Confirma-se, por um lado, que de nada serve comparar resultados brutos de diferentes sondagens. Reparem na diferença entre a abstenção declarada na sondagem da Católica (23%) com a declarada na Marktest (3.2%), ao passo que a Eurosondagem nem a reporta. Diferentes normas de divulgação de resultados e, provavelmente, diferentes questionários - com a Marktest provavelmente a colocar o "não voto" como opção residual numa pergunta de intenção de voto e a Católica a fazer uma pergunta-filtro sobre probabilidade de votar - fazem com que esses resultados nem sejam comparáveis.

Olhando para as "estimativas" - ou seja, os resultados das sondagens expressos de forma a serem comparáveis entre si e com resultados eleitorais - há diferenças importantes. António Costa aparece com mais de 30% das intenções de voto válidas nas três, mas no que se segue há uma grande confusão. Carmona com 20% na Marktest, 17% na Eurosondagem e 14% na Católica; Negrão a ir na direcção oposta (12, 15 e 18%, respectivamente), e Roseta com 17, 16 e 13%.

É muito cedo para tirar grandes conclusões. As sondagens foram feitas em momentos em que não havia ainda confirmação de Carmona e, mesmo depois dessa confirmação, duvido que os eleitores tenham ainda bem arrumado na sua cabeça quem são estas pessoas, a que partido (não) pertencem e, afinal, a que vêm.

by Pedro Magalhães

Outlier: Inimigo Público

Posted May 25th, 2007 at 12:31 pm4 Comments

Uma pessoa sabe que atingiu um ponto particular na sua carreira e percurso de vida quando lhe acontece uma coisa destas. Se é o zénite ou o nadir é que é mais difícil saber.

by Pedro Magalhães

Portugal é Lisboa e o resto é paisagem

Posted May 25th, 2007 at 10:16 am4 Comments

Alertado por um leitor e blogger, gostaria de chamar a vossa atenção para esta notícia da edição online do jornal Sol, onde se relatam os resultados de uma sondagem realizada a uma amostra representativa dos eleitores residentes em Portugal Continental, e onde o PS surge com 46,8% das intenções de voto válidas. O título da notícia resume "Sondagens dão maioria ao PS na Câmara de Lisboa". Errar é humano. Mas se há ministros que não deviam fazer discursos depois do almoço, há jornalistas que não deviam escrever notícias antes do pequeno-almoço.

P.S.- 12.03h. No Sol já se corrigiu o título.

by Pedro Magalhães

Posted May 22nd, 2007 at 6:04 pm4 Comments

Um comentário muito pouco "científico": há uma frase muito citada, atribuída a Getúlio Vargas: "para os amigos, tudo; para os inimigos, a lei". Penso sempre nisso quando vejo os portugueses assim destacados em estudos de opinião

by Pedro Magalhães

Legislativas, França, 22 Maio

Posted May 22nd, 2007 at 2:00 pm4 Comments

by Pedro Magalhães

Prémio

Posted May 22nd, 2007 at 11:38 am4 Comments

Um blogue ganhou um prémio de uma associação académica, mais concretamente o prémio Warren J. Mitofsky de Inovação concedido pela Associação Americana para a Pesquisa de Opinião Pública. É o www.pollster.com, que junta os esforços de Mark Blumenthal (do antigo Mystery Pollster) e de Charles Franklin (do Political Artithmetik). Poucos prémios são tão merecidos. Congratulations.

by Pedro Magalhães