Pedro Magalhães

Marktest, 20-25 Abril, N=800, Tel.

Intenções de voto após redistribuição de indecisos:
PSD: 39,8%
PS: 34%
BE: 8,3%
CDU: 7,2%
CDS: 4,5%

Ponhamos isto em contexto:

1. 39,8% é o valor mais elevado para o PSD obtido em qualquer sondagem para as legislativas feita pela Marktest desde 2005. De resto, podemos ir mais longe: é o mais elevado, desde as legislativas de 2005, seja qual for o instituto que queiramos considerar. Em Setembro de 2005, a Marktest encontrava 39% para o PSD. Mais recentemente, em Março, a Intercampus encontrava o mesmo valor. Mas 39,8% é o máximo desde 2005.

2. Não tenho o histórico para todos os institutos de sondagens antes de 2005, mas tenho o do CESOP. A intenção de voto mais elevada obtida pelo CESOP para o PSD nos últimos dez anos foi de 44%, numa sondagem realizada no início de Fevereiro de 2002. Em Março de 2002, o CESOP dava 42% ao PSD (teve 40,2% na eleição). O valor mais alto para o PSD numa sondagem do CESOP desde as legislativas de 2005 foi de 37%.

3. Quando Menezes substituiu Marques Mendes na liderança do PSD, houve um “bump” nas intenções de voto no PSD, que passou, na Marktest, de 27,6% (Setembro 2007) para 35,9% (Outubro), uma subida de 8,3 pontos. Quando Ferreira Leite substituiu Menezes, em vez de subida houve descida: de 32% para 30,8%. Neste caso, o “efeito Passos Coelho” na Marktest, se lhe quisermos chamar assim (mas há outras coisas que podem ter influenciado estes resultados) é de 9 pontos percentuais, de 30,8% para 39,8%. Recorde-se, no entanto, que Menezes nunca voltou a repetir os números da sondagem feita imediatamente após a sua eleição.

4. Este valor de 34% para o PS não é o mais baixo numa sondagem Marktest desde 2005, mas está perto. O valor mais baixo foi 33%, em Maio de 2008, seguido de 34%, em Setembro de 2005.

Isto é só uma sondagem, de resto contraditória com outra que saiu entretanto. Mas vale a pena estar atento daqui para a frente. E o valor simbólico da coisa, claro, é muito grande, e não deixará de ser explorado pelo PSD e pelos seus apoiantes.

5 Comments

  1. Augusto says:

    Qual é a sondagem que dá um resultado contraditório com este da Marktest?

  2. Libertas says:

    Relativamente à sondagem:

    1. PSD+CDS continuam sem maioria na AR. Maioria só com PSD+PS, como actualmente.

    2. A subida do PSD resulta muito por força da descida do CDS (em 6 pontos)

    3. O trabalho de campo foi feito numa altura que as TVs passavam diariamente notícias sobre a compra submarinos.

    4. Restará saber se o resultado do CDS está ou não enviesado por estas notícias.

    5. Parece-me que Portas comenteu um erro histórico quando viveu com a obsessão dos submarinos e das chaimites.

  3. Augusto says:

    Não me parece…

    A outra sondagem feita entre 8 e 13 de Abril já com a questão dos submarinos em cima da mesa dava;

    PSD 28
    CDS 13

    Com um intervalo de 12 dias é dificil duas sondagens darem resultados tão contraditórios….

    Uma terá valorizado em demasia o CDS e a outra o PSD, só pode…
    `

  4. David says:

    Com estes resultados PSD + CDS estariam na orla da maioria. Em princípio 45% dos votos em conjunto dar-lhes-ão a maioria.

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.