Pedro Magalhães

Mega-fraude

Leio no Expresso que Pedro Santana Lopes terá dito que, com Rui Rio na liderança em vez de Pedro Passos Coelho, o PSD “estaria muito mais destacado nas sondagens”.

Deixem-me reescrever a frase. Leio no Expresso que Pedro Santana Lopes, que ganhou (oficialmente) uma eleição popular na vida, que foi Primeiro-Ministro durante alguns meses em substituição de Durão Barroso, que foi sumariamente despedido da função com o aplauso de uma parte substancial do eleitorado do seu próprio partido e que classificou as sondagens que correctamente descreveram a sua subsequente derrota nas legislativas – uma das piores da história do PSD – como uma “mega-fraude“, terá dito que, com Rui Rio na liderança, o PSD teria resultados nas sondagens superiores àqueles que hoje lhe dão, em média, 12 pontos de vantagem sobre o PS.

9 Comments

  1. É chamado síndrome Calimero…

  2. Tiago Abreu says:

    Não sei se o erro é meu, mas parece-me que a Figueira da Foz faz parte de Portugal, ou não? Parece-me que alguém com um nome parecido a Santana Lopes por lá ganhou há uns anos, roubando uma Câmara ao PS. PArece-me…mas quem sou eu! O escriba é de certeza alguém bem informado e por isso deve ter razão. Ficamos pois a saber por este brilhante texto que PSL apenas ganhou umas eleições (em Lisboa) e mesmo estas foram “gamadas” segundo um best seller de João De Almeida.

  3. Augusto says:

    Não gosto do Santana , mas vamos lá a corrigir…

    Santana ganhou por duas vezes a Camara da Figueira da Foz

    E uma vez a Camara de Lisboa.

    Santana esteve ligado á empresa de sondagens da Moderna com Paulo Portas, e sabe bem o que são a maioria da sondagens em Portugal.

    Quanto ao resto faz parte do saco de gatos que é o PSD, e o Passos Coelho com frases como o Pote….perde credibilidade todos os dias, e para muita gente dentro do PSD, o homem é só um pau mandado do Angelo Correia…..

  4. Não foram duas (Figueira da Foz e Lisboa)?

  5. Kafka says:

    O “gajo” é burro e não sabe…

  6. 1º ganhou duas Figueiras e uma Lisboa

    dá três

    2º é um saco de vento como Sócrates
    logo seria tão bom como ele
    ou seja seria mau

    3º Foi muito superior na câmara ao neto de João também do mesmo nome

    acho que não deu nenhumas benesses à própria família em negociatas de terrenos

    fê-lo apenas para o partido
    e amigalhaços

    e para ter dinheiro para a campanha

    para consultores brasileiros e afins

    é um gajo perdulário mas mais fixe que soares

    e se eu votasse e votasse em Lisboa
    votava no melhor ladrão

    e se roubou as de Lisboa
    Ladrão que rouba a ladrão

    tem diamantes da jamba e contas
    a la kadahfi

    mas daquelas a que os suiços
    não bloqueiam

    tem provavelmente muito menos do que aqueles contra quem concorreu

    o anterior Nababo da figueira tinha um Chalet todo supimpa
    ali no sítio onde o sobrinho do isaltino tinha umas contas

    logo…as sondagens e os estudos de opinião

    também dão uns trocos valentes do estado

    ou pelo menos davam

  7. Rui Rio é menos verde politicamente

    é uma mais valia

    O outro é mais credível e até parece ser bem intencionado

    mas tem dias muito maus

    e parece ter personalidade ou conselheiros divididos?

    o que pode ser menos bom em 2012

  8. falaferreira says:

    Acho que a briga é outra. É preciso dar um passo analítico. Existe uma ala do PSD que quer governar já à manhã, com o FMI a ajudar. Outra, que é a de Passos, que não. É difícil saber o que motiva cada uma delas. Pode ser:

    1. Ou uma quer governar já enquanto a outra prefere esperar que o PS tome as medidas impopulares exigidas pela Europa: redução significativa das pensões de reforma (e ampliação PPR); e privatização quase total do sector da saúde e da educação. Ou

    2. É uma expressão da divisão das elites económicas que se pode traduzir na oposição entre Ricardo Salgado e Soares dos Santos. Neste caso:
    a) O grupo de Passos Coelho está à espera do apoio de Ricardo Salgado que ainda apoia Sócrates… e o TGV. Notem que já li algures que Salgado é conhecido por “primeiro-ministro” entre os círculos restritos do poder.
    b) O grupo de Santana Lopes, pressionado por gente que alinha com Soares dos Santos, está com pressa de chegar ao poder. Eles querem acelerar as reformas acima que Sócrates resiste a fazer.

    Isto é especulação, em parte. Mas é baseado num ano de juntar notícias de jornais sobre a crise

    Abraço

  9. Antonio says:

    Independentemente do Pedro Santana Lopes bombo-de-festa:

    1) Não deveríamos refletir nas razões que levam tantos eleitores e abstencionistas portugueses a considerar os políticos que a sociedade portuguesa gera (em eleições ou golpes de Estado) uns “ladrões” (embora abram excepção para Salazar)?
    2) Serão as classes políticas portuguesas produto natural da sociedade e cultura portuguesas?
    3) Serão, pelo contrário, uma singularidade da natureza –, que nos tornaria (mais um) povo escolhido (pela desgraça)?
    4) Será o resultado da qualidade, humm, digamos, da água nesta parte da Ibéria, ou de outra inluência ambiental que nos deixe incapazes de ser governados por todos os portugueses que não são ladrões nem obcecados pela ladroagem?
    5) Ou, bebendo inspiração na Amália, foi por vontade de Deus?

    Apontar as fragilidades do Pedro Santana Lopes apenas adia o momento de nos responsabilizarmos pelo desempenho da sociedade portuguesa e do país.

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.