Pedro Magalhães

Não há três sem quatro

Intercampus, 2-5 Maio, N=1009, Telefónica
PSD: 37,0% (-1,7)
PS: 34,8% (+1,7)
CDS-PP: 10,5% (+1,1)
CDU: 7,9% (-0,2)
BE: 7,0% (-0,6)

Aqui. Mais do mesmo.

11 Comments

  1. Libertas says:

    Minha previsão de mandatos:
    PSD:95
    PS: 86
    CDS:21
    CDU:15
    BE: 13

    Teremos maioria PSD+CDS com 116 deputados.

  2. G says:

    E segue a minha previsão:

    PSD-101
    PS-84
    PP-21
    CDU-13
    BE-9

  3. andré says:

    Caro Pedro,

    A situação que este grupo de sondagens parece captar faz-me lembrar os resultados das eleições de 2002, em que o PSD perdeu parte do avanço que parecia ter no princípio e o PS conseguiu o que se chamou na altura, creio, “uma derrota honrosa”, mas sem impedir uma maioria absoluta PSD-CDS. A minha questão é: até que ponto a evolução das sondagens em 2002 foi semelhante à actual? Creio que me lembro de ter havido um estreitamento parecido do avanço do PSD nas sondagens da época, mas gostaria de saber os detalhes. Obrigado.

  4. Núncio says:

    O comentário do leitor andré parece-me pertinente, Pedro.
    Também vejo algumas semelhanças no percurso das intenções de voto em 2002 e 2011.
    Só não me lembro se essa diminuição da vantagem do PSD se deu antes ou apenas depois do início da campanha eleitoral formal.

  5. من says:

    mais do mesmo…

    qual o efeito das sondagens nas votações

    há uma sondagem sobre isso?

    em 2 telefones fixos
    6 sondagens em 30 dias
    num deles até se pode dizer que seja expectável

    no outro contraria a lei das probabilidades

    mesmo que as sondagens se revelem fidedignas

    tendo em conta a volatilidade

    se o PS tiver estes resultados
    é pouco provável que as medidas que devem ser tomadas sejam eficazes

    se o PSD vencer não terá expressão essa vitória ficará refém de uma muleta Portista e com uma oposição que lhe fará o mesmo que o PSD fez durante este tempo

    logo pelo menos estimo que 9,5 milhões de portugueses vão ficar muito mais próximos dos restantes PALOP’s nos próximos anos

  6. 2002:

    Médias sondagens Dezembro/Fevereiro:
    PSD: 44,8
    PS: 37,9

    Média Março:
    PSD: 46,5
    PS: 37,9

    Resultado eleitoral:
    PSD: 40,2
    PS: 37,8

  7. Gonçalo says:

    Uma sondagem que se preze deveria incluir uma nova questão sobre os indecisos: na sua indecisão, coloca a possibilidade de votar PS ou a mesma se resume às opções restantes?

    http://notaslivres.blogspot.com/2011/05/partir-de-5-de-junho-teremos-mais-do.html

  8. andré says:

    Obrigado pela resposta, Pedro. Curioso, achava que me lembrava de ter havido uma diminuição do avanço inicial do PSD nas sondagens da época, mas, pelas médias que apresentou, parece que isso afinal não sucedeu. A memória está sempre a trair-nos.

  9. Gonçalo: as sondagens do CESOP perguntam aos que dizem “não sei” uma segunda pergunta sobre se há algum partido no qual se sintam mais inclinados a votar. André: peço desculpa. Os resultados dque dou estão trocados: 46,5 fev/março e 44,8 março. Só percebi que me tinha enganado quando li o seu comentário.

  10. variações de 3 a 5% em semanas
    para o PSD

    e estabilidade aparente para o PS?

    PSD: 44,8
    PS: 37,9

    Média Março:
    PSD: 46,5
    PS: 37,9

    Resultado eleitoral:
    PSD: 40,2
    PS: 37,8

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.