Pedro Magalhães

Passos v. Costa no Twitter

O debate entre Passos Coelho e António Costa rebentou com o Twitter. No dia 9 de Setembro, o Popstar captou um total de 9821 menções a um ou a outro na twittosfera portuguesa. No dia seguinte, o número de menções foi muito inferior (1677 no total):

Screen Shot 2015-09-15 at 17.20.56

Nas notícias online e nos blogues há picos semelhantes, se bem que com valores absolutos obviamente muito inferiores:

Screen Shot 2015-09-15 at 17.24.22

Screen Shot 2015-09-15 at 17.25.17

Qual o sentimento expresso na twittosfera sobre os dois líderes políticos nesses dias? O Popstar treinou uma ferramenta de análise de sentimento no Twitter para medir a polaridade das menções no Twitter, distinguindo entre negativas, neutras e positivas. O gráfico seguinte mostra, para os dias 9 e 10, a proporção de menções codificadas como negativas para cada líder partidário:

Tweets negativos

Conclusões? A primeira é que a esmagadora maioria das menções são classificadas como negativas pela nossa ferramenta, seja porque as menções aos líderes nos tweets co-ocorrem com palavras (na base deste léxico), expressões, emoticons, ou linguagem informal com polaridade negativa, seja porque o vocabulário utilizado tem alta probabilidade de estar associado a mensagens que codificadores humanos anteriormente classificaram como negativas. A segunda é que, apesar disso, essa proporção diminuiu fora “do calor da batalha”, com um aumento de menções neutras. A terceira é que as diferenças entre os dois líderes partidários são muito pequenas, com ligeira (des)vantagem para Passos Coelho em termos de proporção de menções negativas. Não me parece avisado retirar daqui qualquer conclusão para além desta pura descrição dos dados. São o que são, com as suas limitações. O retrato geral, contudo, é de uma twittosfera política usada predominante como arma de crítica política, especialmente em cima do acontecimento. Nada de muito surpreendente, mas é interessante vê-lo quantificado.

Já agora, se formos ver o que se passou com Catarina Martins e os seus interlocutores nos dias em que debateu, vemos um fenómeno interessante. Catarina Martins é sempre “target” de menos tweets nesses dias do que aqueles com quem debateu (uma desproporção que se torna brutal no caso do debate com Portas, 290 v. 1229), mas também de menos tweets negativos e até de bastantes menções que a ferramenta classifica como positivas.

catarina

No Comments Yet

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.