Pedro Magalhães

Pool

Está aqui um ficheiro com todas as apostas registadas (são 101, incluindo a minha). Verifiquem, para o caso de haver lapsos. Não considerei apostas que somassem mais de 100% ou que apostassem em menos de 5 partidos. Arrendondei tudo a números inteiros.

Média e desvio-padrão:
PSD: 34,1 (2,6)
PS: 32,2 (2,8)
CDS-PP: 11,9 (2,1)
CDU: 8,4 (1,0)
BE: 7,1 (1,3)

Estava curioso para saber se haveria diferenças significativas entre estimativas antes e depois do anúncio do pacote EU/FMI na 3ª feira.  A resposta é não, a não ser num caso: o PSD. Pré-pacote: 34,5. Pós-pacote: 33,4. A diferença é estatisticamente significativa com p<0,07. Restantes médias pré- e pós-pacote: PS: 32,1 / 32,4
CDS-PP: 11,7 /12,2
CDU: 8,3 / 8,6
BE: 7,0 / 7,3

17 Comments

  1. Pedro Sousa says:

    Agora que acabou o prazo, o Pedro vai partilhar connosco a sua “estratégia” de aposta? Algo científico ou nem por isso?

    cumprimentos

  2. Curioso o facto de todos os partidos excepto o PSD terem uma subida na média pós-pacote.

  3. Gonçalo says:

    Isso não tem sentido nenhum. Se eu fizesse uma nova previsão, após pacote, incrementaria o valor do PSD e desceria o PS. Afinal, a troika arrumou com o discurso de Matosinhos. Pois a opção Ajuda Externa sobrepõe-se, com toda a clareza, à opção PEC4.
    E que aquela foi tardia. E que nunca teria sido adoptada por opção de Sócrates.
    E que o caminho sem a queda do Governo era, sem dúvida, a rotura.
    De culpado pela vinda da Ajuda Externa o PSD passou a quê?
    E é claro que os sacrifícios nos próximos 3 anos são o resultado do desvario de 6 anos (são o copo cheio) e não a consequência da queda do governo (a gota necessária)…
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/05/teixeira-dos-santos-sem-palavras.html

  4. Caro Pedro,

    tendo em consideração as eleições legislativas anteriores, é normal estarmos a um mês do acto eleitoral e as últimas sondagens indicarem 22% e 30% de indecisos?

    É expectável, atendendo ao elevado valor de indecisos, uma alteração significativa dos resultados, atendendo que quer as últimas sondagens, quer a “pool de apostas”, apresentam resultados semelhantes (PSD 36-34, PS 36-32, PP 12-10, CDU 9-8, BE 7-5) ?

    Sendo que as últimas sondagens apresentam intervalos inferiores a 3,5% entre o PSD e o PS, e cada vez mais reduzidos, é expectável que o PS ou o PSD possam vencer as eleições com um intervalo de 5% ou superior?

    Há indicadores relativos ao possível comportamento destes indecisos ( tendência para o “voto útil” – PSD ou PS -, para a abstenção, para o voto de protesto – branco ou nulo -, para uma alternativa governamental – PP-, … ) ?

    Muito obrigado pela sua opinião e conhecimento.

  5. CLeone says:

    Bom dia
    A juntar às perguntas anteriores: há modo de antecipar abstenção (em função das sondagens de hoje)? E distribuição de deputados?
    keep up the good work,
    CL

  6. Bem, perguntas muito difíceis:

    1. Indecisos: dois problemas. Primeiro, não tenho dados recolhidos sistematicamente sobre indecisos. Segundo, não percebo muito bem o que significa “indecisos” nas diferentes sondagens. Uns isolam claramente a resposta “não sei”. Outros juntam a pessoas que recusam responder. Uns captam para cima de 20% destes. Outros 6 ou 7%. Eu acho que não se pode tirar conclusão nenhuma de jeito com isto.

    2. Parte da resposta aqui está afectada pelo ponto anterior. Mas olhando para a coisa de outro ponto de vista, depende da eleição. Em 2002, a campanha parece ter mudado as intenções de voto. Em 2005 e 2009, pouco ou nada. Esta, contudo, por se jogar tanto na retórica sobre quem deve ser responsabilizado pelo quê e por ter todos os dias nova informação (o pacote vai ser péssimo, o pacote afinal é óptimo, o pacote afinal não é tão bom como parecia, etc) pode trazer mais mudanças, especulo eu.

    3. A terceira tem a ver com a anterior. Maybe so, maybe no.

    4. Sabe-se muito pouco. A indicação mais segura sobre os que se dizem indecisos é que não vão votar. A segunda indicação é que votam na base da sua avaliação pessoal dos líderes, o factor de mais “curto-prazo” na decisão do voto.

    5.Abstenção nem pensar, porque estamos perante um problema semelhante ao 1: a maneira como é medida é completamente discrepante. Sobre deputados, ver post seguinte.

  7. Estratégia de aposta não tive nenhuma em especial, a não ser pensar que CDS ia ter um resultado melhor que em 2009, que voto útil ia castigar BE, que avaliação da economia podia ser suficiente para PS perder mas que PSD tem limites estruturais e cometeu erros estratégicos suficientes para lhe impedir de chegar aos 40%. Mas acho que posso ter subestimado a capacidade táctica do PS e incapacidade táctica do PSD. E ah: o modelo que fiz com o LA-C dá 6 pontos de vantagem para o PSD…

  8. diogo says:

    Pedro, nestas variações do pool pós-troika presumo que os OBN tenham descido, correcto?

    Estas eleições de emergência não dão tempo de preparação nem espaço aos pequenos partidos.

    Quanto aos votos em branco, veremos. Nas presidenciais foram muito elevados (200 mil, como a estrela JM Coelho).

  9. Vai preparando o livro autografado para me enviares e passo a explicar porque :
    Se aos resultados da media da nossa Pool somarmos 2% ao CDS e 1% á CDU e Subtrairmos 2% ao PSD e 1% ao PS dá a minha aposta PSD – 32, PS – 30 (Ha aqui uns pequenos acertos a fazer com os B&N&outros) CDS – 14, CDU-9 e BE – 7…esta regra não dá para provar “cientificamente” mas bate sempre mais ou menos certo….

  10. Caro Pedro,
    Após esta pool, é previsível, ou não, a existência de maioria absoluta à direita (33.4+12.2=45.6)?
    Dado o quadro eleitoral nacional, qual seria a percentagem mínima possível (e com nível de realismo aceitável) para a obtenção de maioria absoluta (tanto de 1 só partido, como coligação)?

  11. João says:

    Caro Pedro
    deixei um post com “6 estimativas” feitas por 6 amigos ao jantar, identificando os seus nomes, mas vejo que nao foi incorporado. faltei a alguma regra do jogo?
    cumprimentos.
    João

  12. Paulo says:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  13. Paulo says:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  14. Paulo says:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  15. Olá João. Não tinha percebido que a ideia era incluir. Vou incluir.

    Paulo: é complicado, o prazo era 20h. Custa-me mas acho que não, ou ainda vou ter reclamações…

  16. Paulo says:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  17. João says:

    Obrigado Pedro.
    Espero que ainda haja outro exercicio equivalente na ultima semana de votação. Se calhar só aberto a quem participou neste? Ou aberto a toda a gente mas com uma análise especifica para a mesma amostra.
    cumps

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.