Pedro Magalhães

Rescaldo

Sondagens pré-eleitorais. Se compararmos os resultados das sondagens com os resultados nacionais, ficamos assim:

Mas tendo em conta que as sondagens foram conduzidas no continente, e que houve diferenças consideráveis entre os resultados eleitorais no continente e os resultados nas regiões autónomas, uma comparação mais adequada será esta:

Sem surpresas, o desvio entre intenções de voto e resultados eleitorais diminui quando os resultados de referência são os do continente, ou seja, os do verdadeiro universo das sondagens em causa.

O mesmo género de fenómeno ocorre nas sondagens à boca das urnas:

Comparar com 2001 (aqui e aqui) e com 2006 (aqui e aqui).

O Luís aborda a nossa previsão aqui e aqui.

E dois prémios:

1. Prémio A nossa sondagem é a melhor exceptuando aquela outra.

2. Prémio Melhor peça jornalística sobre sondagens escrita com gerador de palavras aleatórias.

3 Comments

  1. beijokense says:

    Pedro,
    fiz um gráfico a partir do quadro relativo ao Continente. Não sei se uma imagem valerá mais do que 36 números…

  2. Tiago says:

    Pergunto-me se as sondagens dessem 52.9% para o presidente re-eleito (i.e. que a disputa, pelo menos na primeira volta, nao estava decidida), se a dinamica de voto (i.e., alienacao geral) seria a mesma?

    “59%, nem vale a pena la ir…”

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.