Pedro Magalhães

Tendências controlando "house effects"

6 Comments

  1. jota says:

    Peço desculpa por estar a fazer esta pergunta (que provavelmente já deve ter respondido muitas vezes, espero eu), mas gostaria de saber, já que nunca fui entrevistado para uma sondagem, se quando perguntam em quem a pessoa pensa votar se indicam os partidos concorrentes?

    Pergunto isto porque nas sondagens que aparecem nos órgãos de informação, e mesmo aqui, nunca vejo valores para os partidos que não estão no parlamento. Eu nas eleições de 2009 (incluindo as europeias e as autárquicas) votei num pequeno partido e gostava de saber a evolução dele e dos outros.

    Percebo que do ponto de vista dos media dar esta informação seja pouco relevante e ocupa espaço para outras análises, mas lamento. Pode esclarecer-me?

    Obrigado

    j

  2. Nuno says:

    Pedro,

    No seu livro na página 93 apresenta um gráfico com os desvios. Nas últimas 3 eleições o desvio ( valor absoluto da dif. entre a média das sondagens e o resultado obtido) do PSD foi sempre superior ao do PS. Este desvio é por defeito ou excesso?

  3. Viva Pedro Magalhães:

    Gostaria muito de ver uma comparação entre as técnicas das diversas empresas que estão a fazer sondagens.

    Não falo do tipo da sondagem Rolling polls, etc mas dos pressupostos e no fundo daquilo que pode explicar a diferença entre as empresas.

    Mais ainda, gostava de lhe perguntar se há alguma maneira de quantificar qual das empresas tem um poder preditivo maior?

    Cumprimentos.

  4. Fliscorno says:

    Uma dúvida quanto à sondagem diária do Expresso.

    Lê-se na ficha técnica

    «A amostra foi estratificada […] numa amostra conjunta de 1550 entrevistas telefónicas validadas, dado que 233 (31,1%) das 748 tentativas efectuadas não aceitaram colaborar ou responderam não ir votar.»

    http://sicnoticias.sapo.pt/Infografias/2011/05/26/ps-sobe-psd-desce-distancia-entre-os-dois-partidos-mais-curta

    Significa isto que apenas foram obtidas 748-233=515 respostas?

    Desde já agradecido.

  5. Miguel: espero que não de aborreça mas posso sugerir que compre o livro? É que isso está lá, no capítulo 3. É baratinho…

  6. jota: boa questão. Nuns casos lêem-se os partidos e pergunta “ou outro”? Noutros a pergunta não dá opções e o inquiridor preenche as resposta. Noutros casos – simulação em urna – é um boletim semelhante ao real. Escrevi aqui um post há pouco tempo sobre a divulgação desses resultados.

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.