Pedro Magalhães

Trocas 1.1.2

A justo pedido de muitas famílias, as FAQ do Trocas de Opinião foram ampliadas para explicar a formação dos preços e outros aspectos que estavam a suscitar dúvidas. Os rankings por contrato já têm ligação ao Twitter ou ao blogue daqueles que introduziram essa informação. Hoje haverá ainda uma novidade adicional. Keep it coming.

14 Comments

  1. Parabéns pelo projecto. Já enviei 2 mails (um esqueci-me de assinar…) a assinalar que o sistema continua a ignorar certas ordens de compra e venda. Julgava que o problema já estava resolvido (pela informação no post do João Miranda), mas afinal ainda persiste.

  2. Desculpe abreviar, mas num post abaixo, especialmente nos comentários, estão abordadas as razões que podem existir para as suas ordens serem ignoradas. O facto de uma cotação ser fixada abaixo da sua ordem de compra não implica que a sua ordem tivesse de ser automaticamente executada em favor de outras que eram mais favoráveis para o vendedor.

    Obrigado,
    PM

  3. João Vasco says:

    Permito-me fazer outra sugestão, que dinamizaria as transacções, pelo menos nesta fase inicial em que não existem assim tantos “negociantes”.

    Além da cotação de cada contrato seria interessante tornar pública a “mais alta oferta de compra” e a “mais baixa oferta de venda”. Assim, logo que eu visse que alguém vendia algo a X, mesmo que a minha oferta de compra automática fosse superior, poderia querer aproveitar a ocasião para vender logo.
    Acredito que haveria maior transparência, mais transacções, e mais dinâmica.

    As cotações representariam melhor a informação disponível, e isso poderia atraír mais gente. Depois, com muitos “negociantes” e muitas transacções, essa informação poderia então ser novamente omitida, por se tornar desnecessária.

  4. Completamente de acordo. O Intrade faz isso. Vamos ver se conseguimos introduzir isso para as autárquicas.

  5. Completamente de acordo. O Intrade faz isso. Vamos ver se conseguimos introduzir isso para as autárquicas.

  6. As “explicações” no post anterior vieram-me esclarecer que afinal não há um problema de bug, há é um problema de construção do programa. Quem dá uma ordem de compra a cem (exemplo dado) não quer comprar a cem, mas sim está disposto a comprar, pagando até cem, caso seja necessário. Mas quem quer comprar, quer sempre pagar o mínimo possível. Por isso as ordens de compra devem ser satisfeitas pelas ordens de venda do preço mínimo em crescendo e NUNCA com a ordem de venda cujo preço coincide (ou está perto) com o preço de compra ordenado. É assim que funciona a bolsa e era preferível que o vosso programa respeitasse essa lógica (porque, esta sim, tem lógica).

  7. “Por isso as ordens de compra devem ser satisfeitas pelas ordens de venda do preço mínimo em crescendo”

    e é isso que é feito

    “e NUNCA com a ordem de venda cujo preço coincide (ou está perto) com o preço de compra ordenado. “

    E isso nunca é feito. Deve ter percebido mal a explicações.

  8. Obrigado Luis pelo seu esclarecimento. Julgo ter percebido finalmente o problema.
    Nas FAQ (14) está: “Se os preços de compra e venda envolvidos na execução foram diferentes, a ordem é executada ao preço médio entre a compra e a venda.” Esta regra é muito crua. Se, por exemplo há uma ordem de venda a 10 e uma ordem de compra a 100, esta regra daria o valor 55. Mas supunhamos que, apesar de a quantidade da compra ser satisfeita na totalidade pela 1ª ordem de venda, exista uma outra ordem de venda a 20. Então não faz sentido que o preço seja 55. O custo de oportunidade é 20 (se não vender ao 1º poderia vender ao segundo a 20) e o comprador não deveria ser obrigado a pagar mais de 20. Só faz sentido usar a média das ordens se não existir mais nenhuma ordem alternativa.

  9. Essa solução que refere é uma possível. Também já discuti essa hipótese com o Pedro Magalhães. Além dessa ideia ainda tenho outra hipótese em mente, mas não me parece que o Pedro Magalhães queira alterar alguma coisa a 3 dias das eleições.

  10. JP Santos says:

    Gostaria de começar por dar os meus parabéns pelo projecto.
    Quanto à questão do mecanismo de formação de preços concordo com os que afirmaram que o mesmo não é correcto, dando origem a preços demasiado voláteis e sendo especialmente vulnerável a manipulações.
    Um sistema que executasse as ordens entradas ao melhor preço seria muito mais eficiente.
    Consideremos por exemplo que a procura e oferta num dado momento são dadas pelos seguintes pares de ordens não satisfeitas respectivamente (40 a 15; 60 a 14; 80 a 13) e (50 a 16; 40 a 17; 80 a 18). E admitamos que alguém por qualquer razão dá uma ordem de venda de 1 unidade ao preço de 1. De acordo com o sistema de formação de preços utilizado o preço será (15+1)/2 = 8. Enquanto que no outro sistema o preço seria 15. Do mesmo modo se alguém introduzisse uma ordem de compra de 1 unidade a 100. O preço médio seria 58 enquanto que no outro sistema seria 16.
    Além disso o sistema utilizado favorece dar ordens pequenas. Admitamos que alguém pretende comprar 100 a um preço máximo de 18.Se introduzir essa ordem o prerço será 17,3 mas se optar por introduzir sucessivamente as ordens 50 a 16, 40 a 17 e 10 a 18, o preço médio seria somente 16,6.

  11. JP Santos says:

    Outra potencial vulnerabilidade parece ser o sistema de ordens a descoberto permite que alguém, por qualquer razão, possa vender indefinidamente um contrato com o intuito de fazer baixar uma cotação ou obter financiamento para financiar aquisições. Uma forma simples de evitar isso seria congelar um montante correspondente a mais de 100% (por exemplo 150%) do obtido através dessas aquisições.

  12. Obrigado Luis mais uma vez. Vocês têm introduzido aperfeiçoamentos sucessivos e não vejo bem razão para não introduzir mais este. Até porque me parece que o actual sistema que permite a formação de preços “disparatados”, que dá poder de manipulação a quem tem más intenções, fica ferido na sua credibilidade.

  13. Obrigado a todos. O Luís – que não tem culpa nenhuma disto porque não esteve ligado ao Trocas – tem razão: já não vamos mudar nada até ao dia 27. A única coisa que ainda vamos tentar introduzir hoje é uma média móvel das cotações, ponderada pelo nº de títulos transaccionados, ou seja, uma espécie de índice. Mas no algoritmo não faremos modificações para já. Mas todos estes comentários foram utilíssimos e vamos repensar.

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.